9 de junho de 2011

Bajorianos



Os Bajorianos atualmente são considerado um governo independente aliado da Federação Unida dos Planetas, sem fazer parte como membro ordinário. Eles são uma raça muito antiga e religiosa, com uma história que avança a uns 500.000 anos atrás. Também são profundamente espirituais, e em sua história está repleta de arquitetos, artistas, construtores e filósofos. A Cultura de Bajor resistiu bravamente durante décadas no século 24 a ocupação Cardassiana, durante a qual a maioria dos Bajorianos fugiu de seu mundo, depois que Bajor foi reivindicado como um território de Cardassiano em aproximadamente 2328. Os Cardassianos anexaram Bajor formalmente em 2339, e ocuparam o planeta até o ano 2369. Alguns Bajorianos já haviam se alistado na Frota Estelar antes do término da ocupação Cardassiana.

Os Bajorianos são uma raça de humanóides, bípedes e mamíferos vivendo no planeta Bajor, e são facilmente reconhecidos pelos narizes que possuem camadas de pele acumulada na parte superior perto da testa e pelos os famosos brincos cerimoniais.

Existem pequenas mudanças na constituição e posicionamento de alguns órgãos internos. A mais significativa mudança é no coração cujo arranjo interno é refletido num eixo horizontal e não no eixo vertical vertical como os humanos. Perfurando o ventrículo mais baixo do coração conduz a morte imediata.

Os Bajorianos são extremamente religiosos e sua fé os alimentou de esperança e coragem durante os anos de ocupação Cardassiana. Devido a esta forte religiosidade dos bajorianos, que liderados por Kai Opaka durante muitos anos, eles acreditam que a Fenda Espacial é a morada dos deuses celestiais de Bajor, sendo a Fenda o Templo Sagrado Celestial. Atualmente a líder política é Kai Winn que segue a linha ortodoxa da religião bajoriana e sempre entra em conflito com a Federação. É comum o sobrenome familiar de um Bajoriano ser colocado antes do nome individual.

Outro aspecto relevante é o uso dos brincos tradicionais. Esta jóias têm delicados desenhos que representam a posição social e religiosa de quem o usa, e estavam na antiguidade intimamente ligados com o D'Jarra da família. Normalmente os militares possuem desenhos mais simples. Normalmente deve ser usado na orelha direita, embora encontrado em algumas pessoas na orelha esquerda, mas por escolha própria, e não por tradição.

Fonte : USS Venture